Páginas

domingo, 16 de outubro de 2011

Uma mãe em tempo integral: EU QUERO SER!!

Eu trabalho desde muito nova. Meu primeiro emprego registrado foi aos 16 anos, e eu fui sim uma Mc escrava..rsrs E desde então não parei mais, estou com 26 anos, ou seja, 10 anos que sou uma mulher com uma vida profissional.

E assim eu errei quando tinha o pensamento mediocre, que uma mulher só poderia ser feliz e valorizada se dedicasse sua vida a uma profissão bem sucedida, e filhos e marido deveriam ser colocados em segundo plano em sua rotina onde uma mulher invejável seria aquela que tem dinheiro pra comprar o que quiser e onde quiser, sem dar satisfação e nem depender de ninguem, principalmente de marido.

O que poderia saber da vida uma mulher que fica entre quatro paredes cuidando de um bebê chorão??? Essa vida eu nunca quis para mim...
Pensamento de uma jovem imatura ou imposição de uma sociedade que esqueceu antigos valores???

Não tenho as respostas, mas o que sei, é que mais uma vez a vida e o destino me pregam peças, me ensinam e me mostram diferentes caminhos a serem percorridos e acabaram me trazendo a imensa vontade de ser MÃE EM TEMPO INTEGRAL.


Esses dias que eu fiquei em casa, cuidando exclusivamente do Luan, do meu marido (com mais dedicação do que se estivesse trabalhando), e da minha casa (não tão dedicada, pq eu abandono a louça pra ficar com meu filho..rs), vou confessar pra vocês que não é tão fácil acalmar um bebê chorão, dar comida, banho, trocar inúmeras fraldas, distrair e brincar com um bebê que não fala o que quer, e fora vários imprevistos que acontecem ao LONGO de um dia, não é nada fácil como as pessoas dizem, ao contrário do que a maioria pensa de nós, nossos dias não são iguais e todos os dias enfrentamos desafios, talvez não de uma nova venda, de um novo orçamento ou de uma reunião com o diretor, mas sim desafios da alma.
Sabem o que é isso???

Agora eu sei!!! Quando me tornei mãe me transformei automaticamente em uma pessoa melhor e agora vivenciando esse papel de mãe em tempo integral senti minhas qualidades sendo "lapidadas", como um diamante bruto, que pela falta de tempo para provar das coisas simples da vida tinha perdido seu brilho.

Se você enxergar "ALÉM" das coisas, verá que ser mãe assim, por 24 horas não se limita a trocar fraldas de côco e xixi, preparar mamadeiras, mas sim de fazer exercícios de paciência, de superação física e mental, de positivismo e o melhor de tudo, colocar os "óculos da vida" para ver graça em um pingo de chuva, ter criatividade suficiente para transformar garrafas em tambores e colheres em baquetas, observar as cores das flores que você já passou inúmeras vezes e não se recorda nem ao menos que elas existiam e além de tudo conseguir rir dos seus erros e encher os olhos de lágrimas com um sorriso banguela.

Trabalhar fora por necessidade sim!!! Afinal eu preciso buscar dinheiro para o alimento sagrado do meu filhinho, e ajudar o maridão a pagar as contas, fora o aniversário de um ano que vem chegando..rs,  mas o que me intriga é que muitas mulheres trabalham fora para encontrar um refúgio dessa vida tão intensa e simplismente fogem dos filhos, afinal seu orçamento no final do mês não supera os gastos com a terceiração da educação e cuidados do seu filho.
Porque??? Porque ter medo de uma vida tão intensa??? Será que alguém pode me responder???

Enfim, tenho que voltar a trabalhar, mas NÃO QUERIA!! Se pudesse só voltaria quando meu filho puder se comunicar e se locomover sozinho, para que eu fosse sua voz e suas pernas.. mas infelizmente não posso e com a voz embargada e os olhos cheios de lágrimas que termino este post dizendo: eu volto a trabalhar amanhã..

"Se a felicidade depende de um período, esse período é o primeiro ano de vida. Se depende de uma pessoa, essa pessoa é a mãe."
Frase do psicanalista Donald Winnicott (1896-1971).

Bjinhos cheios de angústia e sofrimento,
Lili do Luanzinho..

Já estou com saudades desse perereco!

15 estrelinhas:

Renata Marques disse...

Lili, meus filhos viram essa foto e a mais velha me disse assim: "mamãe, eu acho que esse bebezinho tem cheirinho de chocolate, hummmmm".
Luanzinho tem essa pele linda que eles associaram ao chocolate. Eu disse que não sabia porque não o conhecia pessoalmente, ela continuou dizendo que se ele tivesse cheirinho de chocolate iria morder ele, rsrsrs. Ainda bem que seu filhote está são e salvo atrás da tela, que perigo!

Sobre ser mãe e dona de casa, vi um vídeo muito legal sobre isso: http://www.youtube.com/watch?v=WBSAVK2xLgU

Rafaella disse...

As duas vidas são trabalhosas...
Mas em uma podemos passar o tempo todo com nossos pequenos....
É uma pena nossa necessidade ser maior, e não temos a opção de largar o trabalho...
Mas pelo menos eles vão ter um conforto (por minimo que seja)...
bjos

Mamãezinha disse...

Eu me identifico inteiramente com as suas palavras. Sofri e sofro ainda demasiadas críticas por pensar e por ter feito assim. Pouco antes de Laura nascer, deixei tudo do mundo profissional, bem como todas as convenções sociais impostas como corretas, modernas etc. Me dediquei à família (sobretudo, filha e marido) com exclusividade. E posso te garantir, foi maravilhoso, foi único. Disto não me arrependo um minuto sequer. Hoje, minha filha está com 2 anos e meio e só agora retomei contatos profissionais, inscrições em concursos, mas tudo devagar. E digo mais, entro neste barco de carreira profissional novamente, porém com mentalidade mudada e sem querer muito, porque tudo mesmo para mim é educar a minha filha e vê-la crescer bem. Não tenho maior ambição e prazer do que este. Meus parabéns pela coragem de pensar e escrever diferente. Beijão!

Marcia Pergameni disse...

amiga eu penso como vc, estou pra me mudar da casa da minha mãe e pra onde vamos, um pouco longe dela, a creche integral pros meus dois filhos é quase o valor que ganho. estamos conversando pra saber o que vamos fazer, nos adequando ao que meu marido ganha, porque terceirizar pra no fim do mês não ter uma diferença relevante também não vale a pena né bjus e boa sorte

- Futura mãmã ! disse...

Pois é...custa muito deixar nosso pequenos seja para o que for ate para a vida profissional..mas por vezes tem mesmo que ser...!
Espero que o seu dia esteja a correr bem ( apesar das saudades do perereco ) ... Ele esta bem acredite ;)
Mil beijo
Futura mama

Carol Damasceno disse...

Lili o retorno é doloroso, mas necessário. Como sofri quando voltei a trabalhar... no primeiro dia achei que não suportaria, mas os dias se passaram e eu me acostumei. Eu também gostaria muito de poder passar o dia todo com a minha Laura, mas como você, preciso trabalhar.

Mas quando chego em casa aconchego ela no meu colo, brinco, pulo, faço graça e ela ri... e seu sorriso é o que me dá forças pra lutar por ela e ir trabalhar e voltar pra casa e brincar de novo...

boa sorte... Você se acostuma... E não se culpe por não se dedicar 24 horas ao seu filho... Ele vai te amar sempre e se orgulhará de você.
Beijos
Carol

Cristiane disse...

Ola estou visitando e devagarvou te conhecendo mais viu. sou a Cris mae do Bruno. Se quiser me conhecer melhor...
olhopreguicoso.blogspot.com
Cris

Carina Ferreira disse...

Ai amiga, meus olhos também se encheram de lágrimas, me coloquei no seu lugar.Eu também precisava trabalhar, mais Francisco disse que só depois que a Malu souber falar o que sente.
Força ai...
Bjs

Paula disse...

Oi Lili finalmente pude vir aqui conhecer o seu cantinho e retribuir a visita. O seu Luan é muito pequetchico ainda.. que gostoso!!! Agora sobre ser mae em tempo integral eu nao consegui.....ja tava meio surtando sabe, mas acho sim fundamental ficar com eles o maior tempo possivel. Mas mas que nunca acho que isso é sua opcao e vc e sua familia tem q ser felizes com a decisao. Nenhuma das duas sao faceis isso é verdade. Mas que da vontade de largar tudo e ficar com eles dá sim!! Beijos

Re disse...

Lili, que post lindo. A mais pura verdade. Eu tb era assim que nem vc e como escrevi no meu blog, a maternidade tem o poder de nos transformar. Antes eu achava que eram futeis aquelas que ficavam em casa so cuidando de filhos. Hoje eu ja acho que sao inteligentes. E assim como vc, se eu pudesse $$ também abriria mao do trabalho ate a Manu tiver 1 ano, 1 ano e meio. Mas td bem, um dia de cada vez e, chegara o dia em que tanto a Manu, quanto o Luan vao ter orgulho da gente, por tudo que a gente batalhou por eles. Bjs.

Li disse...

Concordo com você. Parei de trabalhar para me dedicar ao meu filho e fiz isso quando decidi engravidar!!!

Beijos!

Lívia.

Lu do Deninho disse...

Eu até quero voltar a trabalhar sim, mas meio periodo, to em negociação com o chefe !

Beta disse...

Hummm, amiga! É realmente emocionante e sofrida essa hora! Mas, que Deus dê tranquilidade ao seu coração e que vc se acostume bem depressa!
Bjks!

Jullia disse...

Ei Lili, que bom que vc nos achou!!! Obrigada pelo comentário no bloguinho do Pedro!! Seu filho é um fofo, Deus abençõe vcs!!
É dureza pensar em ficar ao menos um pouquinho longe deles neh, confesso que nao consegui voltar ao trabalho, mas força querida, Deus é o maior guardião dos nosso pequeninos e eles estão sendo cuidados 24hrs pelos anjos do Pai, vai dar tudo certo!! Um grande beijo nosso e sempre apareça!!!

Laiz disse...

A vontade é de ficar pra sempre juntinho deles né??!! O Nino fica longe na parte da tarde! E morrooooo de saudades! Virei a coruja que nunca imaginei que seria!!! rsrs
Bjinhosssss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nosso anjinho crescendo

Lilypie - Personal pictureLilypie First Birthday tickers

Desde sempre

Daisypath - Personal pictureDaisypath Friendship tickers